Resenha: O lar das crianças peculiares – Tim Burton

Hello little bats!

Hoje venho falar um pouquinho sobre  novo filme de Tim Burton: O Lar das crianças peculiares, que foi uma adaptação do livro: O orfanato da Srta Peregrine para crianças peculiares do escritor Ransom Riggs.

Quando fiquei sabendo que Tim Burton começaria a fazer a adaptação do livro, eu fiquei tão feliz porque realmente é uma história, que eu acredito, somente ele seria capaz de dar vida e o tom que essa história precisaria. Tanto que até Ransom Riggs nos confirma isso, ele diz que se ele tivesse que escolher um diretor para fazer a adaptação da sua obra, ele apenas conseguiria pensar em Tim Burton pra isso, vivo ou morto. Hahaha

Eu consegui ganhar a pré-estréia do filme para assistir no dia 26/9! Ainda bem, pois eu já não estava mais aguentando ter que contar os dias para assistir! E vamos lá…
miss pegrine

 

Bom a partir desse ponto o texto pode conter spoillers tanto do livro como do filme, se você não se importar pode seguir em frente, caso contrário fica por sua conta e risco 😉

 

No começo do filme já nos deparados com Jake trabalhando no Smart-aid, uma cena que temos também no início do livro.  E isso já me deixou bem animada, por muitas cenas apesar das modificações dava pra perceber que a gente ‘viu’ isso no livro.

Eu achei o filme bem trabalhado em todo seu cenário e toda sua magia em torno do mundo peculiar. E eu vi muita gente falando ‘Ai filme está totalmente diferente do livro, não tem nada do livro”’.

Mas posso citar aqui rapidinho o que podemos encontrar no filme:

– Jake trabalhando no Smart-Aid

– A morte do vô Abe

– Verme e Dylan (dos beat box da vida)

– Jake encontrando o orfanato destruído

– A fuga do buraco do padre

– A cena em que Jake senta em Millard invisível  e obviamente nu hahaha e a Srta Peregrine diz:

‘Pessoas educadas não jantam peladas’

– A triste história de Victor (chorei :()

– A história dos etéreos

– A Srta Peregrine mostrando o espetáculo do reinicio da fenda

– o ataque dos etéreos

A história do filme, no andar da coisa, começa a ficar diferente dos acontecimentos do livro, pois ele pega muitas partes do primeiro livro e começa a fazer um fechamento da história e no final, sim é semelhante com o final da saga.

 

miss peregrine

 

Jane Goldman (X-Men e Kick-Ass) e Burton,  mostram alguns fatos do livro sem se aprofundar muito, como a história dos etéreos, o reinicio da fenda, ymbrynes, os peculiares e o mundo em que vivem.

É claro que para um filme que é baseado em uma história de 3 livros, seria impossível de adaptar todo aquele universo, ainda mais por ser uma história bem rica e complexa. Em que cada pedacinho do mundo peculiar é explorado e detalhado. Além de sempre surgirem mais peculiares e Jake se aventurar para salvar esse mundo que acaba muito mais a fundo da ponta do iceberg.

Eu como fã do livro e como fã de Tim Burton, gostei muito do filme. Ele tem a essência peculiar e nos mostra um novo mundo, com coisas maravilhosas e também assustadoras. Bem típica do diretor, além do visual delicado com um lado sombrio.

Eu fiquei impressionada. O filme me fez vibrar, chorar, rir e perceber muitas referências ao livro, que foi o que eu mais gostei. As pessoas esperam ver tudo do livro no filme, mas acho que a melhor parte foi encontrar as referências, do que você ver uma cópia totalmente igual ao livro. Foi legal a experiência de ser surpreendida com novidades que não li. Fora que Eva Green encarna a Srta Peregrine de um jeito que é difícil você não ficar hipnotizado e encantando com tamanho talento!

E isso é natural, acontece tanto com séries como com filmes. Não existe adaptações 100% fiéis.

Eu só espero que no futuro teremos mais filmes explorando esse mundo, pois tem muitas coisas bacanas para serem vistas hehe. E apesar do fechamento parecer que não haverá continuidade e acabou, eu  acho que existem algumas pontas que possam ser exploradas para uma continuidade.
peregrine

 

Agora vamos aos pontos fracos:

– No livro temos a história contada por Jake, então sabíamos tudo que ele sentia, pensava e víamos como ele era um ‘’nada’’ e o quanto ele evoluiu e teve que enfrentar seus medos para salvar um mundo peculiar. Coisas que no filme, como estávamos apenas vendo o desenrolar, ficou vago, ele não teve muito brilho pois não mostrava nada do personagem, não foi bem trabalhado o emocional dele, apenas em uma cena com o vovô e nessa eu chorei <3 hahah

– O vilão. Bom, eu particularmente achei que ele foi bem fraco… foi um vilão que tinha uma aparência que dava certo medo, mas ele era mais do tipo ‘quero ser foda mas sou burro’. Era atrapalhado e não deu o TCHAN no lado macabro da história. Ele foi criado para o filme e não usaram o vilão que já existia nos livros. E querendo ou não, tive que comparar muito com o livro hahah porque lá temos algo bem frio, ganancioso que realmente dava medo e era BEM imprevisível.  (É algo MUITO mais além que não vou dar um puta spoiler aqui ahaha)

 
barrow

 

Bom fora isso, o filme teve o que tinha que ter para mostrar em pouco tempo. Eu gostei bastante e vai ser um filme que eu assistirei mais vezes e torcerei MUITO para ter continuidade, porque potencial é o que não falta.

Basicamente a história é a premissa do livro: Jake, um garoto até então ‘comum’ vai atrás de seu avô que aparentemente está pirando, pra saber o que está acontecendo que está tão apavorado em casa. A partir daí ele começa a desvendar os mistérios que envolve seu avô. Desde a época em que ele contava histórias para Jake, sobre as crianças peculiares, até a sua morte. A partir daí ele vai atrás de provas e encontra os peculiares e descobre o mundo peculiar.

e o resto vou deixar vocês assistirem para descobrir! hehehe

Ah! E reparem bem nas cenas, cada detalhe. Até Tim Burton aparece no filme, em uma cena digna do diretor 😉

E no final do filme, fiquem nos créditos ao som dessa maravilhosa música produzida especialmente pra ele:

 

 

 

Ah lembrando que essa é MINHA opinião sobre o filme, cada um cada um né? Espero que gostem e peguem essa essência peculiar <3

Até a próxima ;*

 

14249933_1811155815770355_4917420818865755120_o

 

Compartilhe com:

FacebookTwitterGoogleTumblrPinterest


Designer, fotógrafa, modelo alternativa e mãe. Criou esse blog com o intuito de compartilhar suas trevosidades, gostos e também continuar sua missão no mundo da procrastinação.

Posts Relacionados

4 thoughts on “Resenha: O lar das crianças peculiares – Tim Burton

  1. Mewww que bom que li sua resenha pois vi que você entende do assunto, eu nunca li o livro e ainda não vi o filme, estou muito ansiosa para ver muito mesmo, alem de ser produzido pelo meu tão amado Burton, é o tipo de história que eu morro de amores, tem aventura, horror, suspense, em fim amo. E foi ótimo conhescer um pouco mais da história através de você.

  2. PRIMEIRAMENTE vc ficou maravilhosa de Peregrine =D

    E eu não li o livro, só vi o filme, mas adorei o que vc comentou aqui: “As pessoas esperam ver tudo do livro no filme, mas acho que a melhor parte foi encontrar as referências, do que você ver uma cópia totalmente igual ao livro. Foi legal a experiência de ser surpreendida com novidades que não li.” —- é por isso que eu posso até não curtir uma adaptação, mas eu a entendo. Certas coisas fazem parte. E de todas as justificativas que ouvi do Burton para as mudanças que ocorreram no livro, achei tudo plausível (Emma + ar = poesia).

    E concordo que a Eva Green hipnotiza na tela. Eu gostei do filme por causa dela. Confesso que esperava mais, fiquei meio desapontada com algumas coisas, mas adorei a essência do filme (e, por extensão, do livro) de abraçar sua peculiaridade. Nunca serão suficientes as histórias que já temos sobre isso. Quanto mais, melhor.

    Bjs

    1. editei pra você hahahaha <3

      Sim, por mais que a gente queira que seja bem, beeem parecido com o livro (o que seria incrível) infelizmente não é o que acontece, as adaptações não seguem boa parte.

      Também esperei bem mais, principalmente trabalhar mais em alguns pontos que necessitam de uma atenção. Além de que eu esperava MUITO uma grande brecha pra continuação e o vilão não ser derrotado tão fácil como foi. Mas... vamos ver que que dá 🙂 De qualquer forma é válido e traz bem a essência. ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *